Vitamina D3: qual a sua função e para que serve?

Em artigos recentes aqui no blog, temos abordado as funções e os benefícios de diferentes vitaminas.

De um modo bem simples, podemos dizer que a vitamina é algo que o nosso corpo não fabrica, mas que desempenha diferentes funções bioquímicas e que, assim, deve ser obtido por meio da dieta ou com alguma ajuda externa.

O rol dessas funções bioquímicas é bastante amplo e vai desde a proteção do revestimento superficial dos olhos até o fortalecimento dos nossos ossos, por exemplo. Isso faz da vitamina um importante aliado na conquista de um organismo saudável e funcional.

Por exemplo, pesquisadores da Faculdade de Medicina de Botucatu da Universidade Estadual Paulista conduziram um estudo recente, no qual demonstram que existe uma forte associação entre a deficiência de vitamina D e a síndrome metabólica – um conjunto de condições que aumentam o risco de doença cardíaca, de acidente vascular cerebral e de diabetes – em mulheres no período de pós-menopausa. Outros estudos atuais têm relacionado a deficiência nessa vitamina com várias doenças autoimunes, incluindo o lúpus.

No post de hoje, falaremos sobre um subtipo da vitamina D: a vitamina D3. Qual a sua função bioquímica? Que benefícios esse composto traz para o nosso organismo? Em quais alimentos podemos encontrá-lo? Continue a leitura e confira as respostas a seguir!

Perfil bioquímico da vitamina D3

A vitamina D apresenta-se, principalmente, na forma da vitamina D2 e da vitamina D3, que também é chamada de “colecalciferol”. 

O colecalciferol é um composto orgânico, ou seja, é constituído por átomos de carbono. Ele foi descrito pela primeira vez em 1936 e, atualmente, integra a  lista de medicamentos essenciais produzida pela Organização Mundial da Saúde, sendo considerado um dos medicamentos mais eficazes e seguros em qualquer sistema de saúde.

A vitamina D3 é produzida pela pele quando nos expomos à luz solar e também é encontrada em alguns alimentos. O colesterol que existe no nosso organismo é a base para a fabricação de uma molécula denominada 7-dehidrocolesterol que, na epiderme (camada mais superficial da pele), ao ser penetrada por raios ultravioletas do tipo B, é transformada em pré-vitamina D. Esse composto fica então armazenado no fígado e depois nos rins, onde passa por outras transformações até se transformar em vitamina D3.

É precisamente essa participação da radiação ultravioleta no processo que dá à vitamina D3 a alcunha de “a vitamina luz do sol”.

Existe uma extensa literatura acerca dos benefícios da vitamina D3. Vejamos a seguir algumas delas.

Benefícios da vitamina D3 para o nosso organismo

Primeiro, para que você tenha uma ideia do alcance da atuação desta vitamina, segue uma lista não exaustiva de áreas nas quais ela pode atuar: cartilagens, células produtoras de insulina, cérebro, coração, desenvolvimento do embrião, estômago, fígado, folículo capilar, formação de placenta, funcionamento da musculatura, glândula supra-renal, hipófise, inibidores do câncer, intestino, mamas, medula óssea, ossos, ovários, paratireóide, parótida, pele, próstata, pulmões, retina, rins, sistema imunológico, tecido adiposo, testículos, timo, tireóide e útero.

Impressionante, não? Veja a seguir algumas outras funções desempenhadas pela vitamina D3:

–  Reduz certos tipos de câncer, como câncer de próstata, mama e de cólon. Há médicos que afirmar que todos os tipos de câncer, sem exceção, podem ser prevenidos com a vitamina D3;

– reduz o risco de doenças cardíacas e de pressão arterial alta;

– diminui os níveis de colesterol ruim no corpo;

– ajuda a fortalecer a saúde dos dentes e ossos em crianças e está ligada à prevenção do raquitismo. Na mesma linha, promove mais absorção de cálcio no sangue, fortalecendo os ossos;

– melhora a nossa massa óssea e auxilia a proteger o corpo contra a fraqueza muscular;

– aprimora o funcionamento do nosso sistema imunológico, prevenindo o aparecimento de doenças autoimunes, incluindo alergias e lúpus, como já mencionamos;

– reduz o risco de aparecimento de diabetes, criando uma secreção de insulina e fazendo com que o corpo processe mais efetivamente o açúcar.

– há também benefícios para a mente, pois ajuda a vitamina D3 prevenir doenças como mal de Alzheimer e Parkinson, além de controlar transtornos de mudança de humor como casos de depressão.

Onde encontrar a vitamina D3?

A deficiência de vitamina D3 (fenômeno conhecido pelos médicos como “hipovitaminose”) pode ter efeitos nocivos para a nossa saúde. Em crianças, pode estar associada ao raquitismo, a doença que deforma os ossos e dentes. Em adultos, as consequências podem ser o desenvolvimento de certos tipos de câncer, osteoporose e diabetes tipo 1, entre outras doenças.

A prevalência de hipovitaminose D3 tem sido observada com frequência mesmo em regiões de baixa latitude, como em Recife, região com clima tropical e abundante luz solar durante a maior parte do ano. Mulheres no período pós-menopausa que vivem em áreas com franca exposição à luz solar também apresentaram hipovitaminose D3.

A prevalência dessa deficiência aumenta significativamente com a idade, sendo encontrada em 30% das mulheres entre 50 e 60 anos de idade e em mais de 80% nas mulheres com 80 anos de idade.

Assim, é necessário estar atento a essa carência, o que poderá ser avaliado pelos médicos mediante exames clínicos. Se confirmada a hipovitaminose, o ideal é que haja a ingestão de suplementos vitamínicos.

Os alimentos ricos em vitamina D3 são óleo de fígado de bacalhau, atum, sardinha, fígado, gema de ovo, vegetais ricos em óleo e leite, chocolate e manteiga.

Macrophytus Vitamina D3

Na Macrophytus, temos a solução para os casos de hipovitaminose D.

Com um composto de óleo de soja e vitamina D3, o Macrophytus Vitamina D3 é comercializado em frasco com 60 comprimidos.

Além das funções já listadas para a vitamina D3, destacamos a seguir outras propriedades deste produto:

– atua no coração, no cérebro e na secreção de insulina pelo pâncreas;

– regula os níveis séricos de cálcio e fósforo, aumentando a absorção desses minerais;

– previne a osteopenia (perda precoce de densidade óssea) e a osteomalacia (amolecimento dos ossos) em adultos. Quer conhecer outras dicas naturais que podem trazer saúde e muitos benefícios para o seu organismo? Então, explore nosso blog e leia o nosso artigo sobre a vitamina D e seus benefícios. Se quer saber mais sobre quais são os sinais comuns de hipovitaminose, clique aqui e confira o nosso artigo sobre esse tema.

Comentários