A vitamina D e seus benefícios para o corpo e a mente

O desenvolvimento da urbanidade responde por boa parte da deficiência da “vitamina do sol” no organismo do homem moderno. Estudos notam que cerca de 80% das pessoas que vivem na cidade estão com insuficiência de vitamina D. Isso porque, cada vez mais dentro de escritórios e automóveis, criamos rotinas que nos privam da luz do dia, e o sol passou a ser um personagem apenas das férias na praia. Como superar essas deficiências?

Para a nossa sorte, a vitamina D é obtida não apenas pela exposição ao sol, como muitas pessoas pensam. Ela pode ser ingerida também por meio da alimentação e suplementação com orientação médica.

Neste artigo, vamos falar sobre essa tão importante substância, suas funções e benefícios para o corpo e a mente, os problemas que sua ausência pode causar no organismo e alimentos ou suplementos que podem ajudar a repor as quantidades necessárias da “vitamina do sol” no corpo. Acompanhe!

A vitamina D: quais os benefícios e para que serve?

A vitamina D é fundamental para a manutenção do tecido ósseo. Mas não somente isso. A vitamina é responsável também por estimular o sistema imunológico. Segundo estudo publicado pela revista Today’s Dietitian, em julho de 2014, crianças com bons níveis da vitamina contraem com mais raridade doenças como gripe. Além disso, a vitamina D diminui os riscos de diabetes, pois age positivamente na secreção de insulina, aumentando a capacidade do organismo em processar o açúcar, impedindo o desenvolvimento de diabetes do tipo 2.

Não bastasse isso, a vitamina D também influencia positivamente o desenvolvimento mental. Pessoas com bons índices da vitamina apresentam mais eficiência no raciocínio e na memória. Identificou-se também que ela ativa e desativa as enzimas cerebrais coadjuvantes na síntese de neurotransmissores e no crescimento nervoso; ela protege também os neurônios, diminuindo inflamações. Não sem razão, estudos associaram níveis baixos da vitamina D com baixos rendimentos de pessoas submetidas a exames de agilidade e desempenho mentais.

Problemas causados pela insuficiência da vitamina D

Em um artigo científico intitulado O papel da vitamina D na força muscular em idosos, a médica fisiatra Patrícia Zambone da Silva e o geriatra Rodolfo Herberto Schneider, ambos da PUCRS, afirmam que a hipovitaminose D (baixo índice da vitamina) é muito comum em idosos e aumenta na idade avançada os riscos de fraturas em casos de quedas ou outros acidentes, pois “leva ao aumento de secreção do paratormônio e ao remodelamento ósseo o qual pode resultar em perda de massa óssea, portanto causando fragilidade óssea”. Além disso, eles observam que a deficiência da vitamina gera distúrbios não somente de ordem musculoesquelética, como também doenças cardiovasculares, inflamações, doenças infecciosas etc.

No organismo infantil, foi identificado que a insuficiência da vitamina D pode levar ao raquitismo, enquanto no adulto pode levar à osteomalacia, que é o amolecimento dos ossos, ou mesmo à osteoporose, fragilidade dos ossos que os torna suscetíveis a fraturas. Pesquisas também observam que a vitamina D é fundamental para as gestantes e que, na falta dela, mulheres podem conceber abortos no primeiro trimestre da gravidez.

Em outro artigo realizado por pesquisadores médicos da UNICAMP, intitulado Reposição de vitamina D nativa: indicação à luz das evidências científicas atuais, afirma-se que o déficit de vitamina D já foi suspeitamente associado a doenças como câncer, hipertensão arterial, diabetes, doenças autoimunes e até aumento da mortalidade. Embora também existam posicionamentos científicos divergentes, os estudos vêm se aprimorando a fim de mostrar uma relação muito maior entre a vitamina D e a saúde humana do que simplesmente a retenção de cálcio.

Alimentos ricos em vitamina D, suplementos

Embora algumas horas de exposição ao sol sejam imprescindíveis, podemos contar com alimentos ricos em vitamina D para colocar o organismo em dia. A natureza-mãe nos agracia com comidas naturais que, além de saborosas, agem no nosso corpo distribuindo as substâncias necessárias para nossa saúde e bem-estar.

Os principais alimentos que são fontes de vitamina D são ovos; peixes, como sardinha, atum e salmão; fígado bovino; leite e derivados, como queijo, iogurte e manteiga; outros variados alimentos como o brócolis, amêndoas, grão de bico e cogumelo.

Outra forma de obter a vitamina D é através de suplementos vitamínicos, especialmente quando a exposição ao sol ou os alimentos específicos não são suficientes.

Para esses casos, a Macrophytus desenvolve, em parceria com grandes laboratórios, suplementos alimentares destinados a corrigir as deficiências do organismo, com destaque para a Vitamina D3, apta a combater carência de cálcio e osteoporose, regular os níveis séricos de cálcio e fósforo, aumentando a absorção destes minerais e até prevenindo o raquitismo em crianças e osteomalacia em adultos. O produto também atua no sistema imunológico, no coração, no cérebro e na secreção de insulina pelo pâncreas. Outro produto de alta recomendação para a deficiência de vitamina D é o Oléo de fígado de bacalhau, fonte natural de vitamina A e vitamina D, que auxilia na absorção de cálcio, facilitando também a fixação de outros minerais.

Para concluir, uma ressalva. Como em tudo na vida, na saúde os extremos também são perigosos. Níveis altos de vitamina D podem gerar intoxicação, prejudicando seriamente o bom funcionamento do organismo. Por isso, é importante realizar exames clínicos para saber qual a quantidade de vitamina D o seu corpo precisa e, após consultar o médico, entrar com a reposição devidamente dosada.

Para acompanhar as nossas matérias sobre saúde e suplementação, acesse o nosso blog e a nossa Página no Facebook.

Até o próximo post!

Comentários